Monthly Archives: Maio 2012

Estudante de 16 anos resolve problema matemático com 350 anos

Padrão

Shouryya Ray encontrou solução para duas teorias da dinâmica das partículas

Um adolescente de 16 anos conseguiu resolver um enigma matemático proposto por Isaac Newton há mais de 300 anos. Shouryya Ray, estudante de indiano que estuda numa escola secundária em Dresden, Alemanha, supreendeu a comunidade científica, com a resolução da duas teorias dinâmicas de partículas que até agora os físicos só conseguiam calcular de forma aproximada.

Graças às suas equações, poderá calcular-se com exactidão a trajectória de um projéctil afectado pela gravidade e pela resistência do ar (o problema proposto pelo físico inglês) e também prever como vai bater e fazer ricochete numa parede.

Shouryya Ray emigrou de Calcutá há quatro anos sem saber falar alemão. Os seus professores aperceberam-se em pouco tempo de que possuía uma inteligência muito acima do normal e permitiram que saltasse dois ano para o nível adequado às suas capacidades.

O pai de Ray, engenheiro, desafiou o seu filho desde tenra idade a resolver problemas aritméticos . Este ‘treino’ fez com que, mesmo antes dos 10 anos de idade, fosse capaz de resolver equações complexas.

O jovem descobriu os problemas propostos por Newton durante uma visita de estudo à Universidade de Dresden, onde os professores explicaram que os enigmas era irresolúveis.

Ofereceram dados experimentais com os quais seria possível analisar a trajectória de lançamento de uma bola. Os métodos existentes para a resolução eram aproximações. Ray decidiu, então, “por curiosidade e ingenuidade de estudante”, confessou ao jornal inglês «Sunday Times», procurar uma solução definitiva.“Não podia acreditar que não existia uma solução. Então pensei, porque não tentar?”.

Shouryya Ray

Fonte: Ciência Hoje (2012-05-29

Campanha “Papel por alimentos”

Padrão

Campanha “Papel por alimentos”

No âmbito do desenvolvimento do tema do Projeto Educativo do Colégio da Imaculada Conceição, para o triénio 2011-2014, “Caminho do conhecimento aliado à solidariedade e ao voluntariado”, os alunos do 3º ciclo, decidiram embarcar numa das campanhas a nível nacional do Banco Alimentar contra a fome, que se intitula “Papel por alimentos”. Esta campanha de sensabilização tem contornos ambientais e de solidariedade e pretende ajudar a angariação de alimentos em troca de papel usado, alertando para a importância de cada pessoa na sociedade e tem por objetivo recuperar e reutilizar bens que à partida parecem não ter valor, nomeadamente, jornais, revistas, fotocópias, rascunhos, impressos (publicidade), cadernos, folhetos, envelopes, papel de fax, papeís timbrados e arquivos mortos. Por cada tonelada de papel recolhido, o Banco Alimentar recebe o equivalente a 100 €  em alimentos.

O seu papel é essencial na luta contra a fome e ajuda a alimentar pessoas comprovadamente carenciadas. Poderá depositar o seu papel em contentores devidamente sinalizados para o efeito e que se encontram no Colégio da Imaculada Conceição e nos supermercados E.Leclerc, em Lamego, entre os dias 14 de maio e 30 de junho.

Pequenos passos solidários originam grandes gestos voluntários, por isso a contribuição de todos é fundamental para o sucesso desta campanha.

Os alunos do 3º ciclo do C.I.C.

Teste Intermédio de Matemática – 9º ano – Maio de 2012

Padrão

Olá a todos!

Aqui fica o enunciado do Teste Intermédio de Matemática do 9º ano realizado no passado dia 10 de Maio e os respectivos critérios de classificação.

Enunciado V1

Critérios de Classificação V1

Comecem já o trabalho sério, pois este ano parece não estar fácil 😉

Matemática é a solução para resolver problemas na indústria

Padrão

86ª edição do Grupos de Estudos Europeus de Matemática decorre no ISEP

50 matemáticos resolvem problemas de empresas.

Um grupo de trabalho de 50 investigadores, docentes e estudantes de doutoramento com conhecimentos sólidos na área da matemática, doInstituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), propõe-se a solucionar problemas na indústria, sejam estes na área financeira, manutenção ou operacionais, seleccionando cinco empresas portuguesas – TAP, Sonae Indústria, INESC, Euroresinas e Neoturf –, recorrendo a esta ciência. A iniciativa teve início hoje, onde foram apresentadas as questões a resolver e as possíveis soluções serão apresentadas na próxima sexta-feira.

Esta é já a 86ª edição dos Grupos de Estudos Europeus de Matemática com a Indústria (ESGIs), organizada pelo Laboratório de Engenharia Matemática (LEMA) do ISEP), em colaboração com outros centros de investigação do país.

Segundo Manuel Cruz, docente do ISEP especializado em Matemática Aplicada, disse ao jornal «Ciência Hoje», os cinco problemas são remetidos a cinco grupos que tentarão encontrar um caminho para a solução, até ao final da semana. “Oferecemos uma investigação exploratória, uma via para a resolução e se possível solucionamos o problema”; no entanto, “não podemos esquecer que estas empresas – como é o caso da TAP – têm toda uma equipa de engenheiros e outros especialistas dedicada a estas situações e apenas nos remetem aquilo que não conseguem descobrir”. Portanto, “tratam-se de problemas bastante complexos”, sublinhou.

A TAP pediu uma alternativa para o seu problema de eficiência, no que toca a reparação de motores de aviões, em que tem de desmontar centenas de peças. A intenção “é optimizar tarefas”, desvelando através de algoritmo, “que motores e peças a reparar e por que ordem”. O problema é transformado em variáveis que levam a um algoritmo que, por sua vez, virá optimizar o tempo de reparação.

Ciência transversal

Manuel Cruz salientou que “o objectivo desta iniciativa pretende dar a conhecer o valor da matemática e mostrar que tem muita utilidade na resolução de problemas ligados à indústria”. E acrescentou: “É uma ciência transversal e pode solucionar questões em diferentes áreas: biologia, aeronáutica, entre outras”. No ano anterior, a equipa resolveu um problema num jardim zoológico sobre a nidificação de pinguins em cativeiro, por exemplo.

Estes grupos de trabalho, que tiveram origem no Reino Unido na década de 60 do século passado e que se têm realizado anualmente no nosso país desde 2007, são uma oportunidade única para as empresas poderem contar com a academia para a modelação e resolução de situações prementes para as suas organizações.

Fonte: Ciência Hoje (2012-05-07)


Colónias de formigas ajudam a resolver problemas

Padrão

Investigadores do ISEC criam solução informática
que ajusta métodos de optimização

Francisco Baptista Pereira e Jorge Tavares, do Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra, inspiraram-se em formigas para desenvolver uma solução informática capaz de recriar e adaptar métodos de otimização capazes de dar resposta a problemas que surgem em situações reais.

“As formigas conseguem, de uma forma extremamente eficiente, encontrar trajectos que liguem dois pontos. Se pegarmos nessa ideia e a transpusermos para a área de optimização, conseguimos criar técnicas que resolvem problemas que implicam também encontrar trajectos mais curtos”, afirma Francisco Baptista Pereira ao Ciência Hoje.

Estes métodos de otimização, baseados em colónias de formigas, foram criados por um investigador italiano, Marco Dorigo, na década de 1990.

O que os investigadores agora propõem “é uma ferramenta computacional que diante um problema específico pega nas propostas existentes de algoritmos baseados em formigas e, de uma forma completamente automática, os ajusta ao problema concreto”. Assim, “liberta-se a pessoa que quer resolver um problema da necessidade de recorrer a um especialista para obter métodos de optimização que sejam eficazes”, explica Francisco Baptista Pereira.

Segundo o também docente do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, há muitas aplicações práticas para as técnicas de otimização. “Isto aplica-se ao controlo de tráfego na Internet mas também para gerar um conjunto de rotas para uma empresa de distribuição”, exemplifica.

Apesar de ainda estar em fase de testes para melhorar a autonomia e robustez, a solução proposta pelos investigadores do ISEC recebeu este mês uma distinção para o melhor artigo científico apresentado na conferência EuroGP-2012, encontro mundial de topo na área da Programação Genética.

Os próximos passos incluem “continuar o desenvolvimento do protótipo e tentar aplicá-lo a diferentes problemas”, avança Francisco Pereira.

De acordo com o responsável, a maior parte dos problemas de optimização reais vão-se modificando ao longo do tempo e nestas situações em concreto é importante existir uma técnica que se vá ajustando às modificações do problema.

“A ferramenta que desenvolvemos, pelo facto de ser completamente automática a forma pela qual se vai ajustando ao problema, é especialmente indicada para situações dinâmicas”, realça.

Fonte: Ciência Hoje (2012-04-30)