Monthly Archives: Fevereiro 2010

Origem dos Números Arábicos

Padrão

Os algarismos arábicos ou árabes, foram trazidos da Índia para o Ocidente há muitos séculos atrás e são aqueles que ainda usamos nos nossos dias.

Os números que escrevemos são formados pelos algarismos 0,1,2,3,4,5,6,7,8 e 9.

Alguma vez pensaste porque 1 é “um”, 2 é “dois”, 3 é “três”, …???

Existem diversas explicações para a origem destes números, algumas delas bastante interessante que apontam em argumentos bem construídos mas que, no entanto, não são reais.

Um exemplo disso é o que se apresenta a seguir, que assenta a origem dos números arábicos no número de ângulos existentes no desenho de cada algarismo.

Apesar de não ser a verdadeira história da origem destes números não deixa de ser bastante interessante e curiosa.

Coincidências 😉

Os números 1,2,3 e 4

Os números 5, 6, 7 e 8

O número 9

O mais interessante de todos! O número 0!

Anúncios

O que eu aprendi sobre fracções (cont.)

Padrão

Texto F:

Falta ¼ de hora para eu acordar…

Chego à escola e tenho a disciplina de Matemática, aprendo fracções equivalentes, a leitura fracções, a simplificação de fracções, a fracção com quociente exacto de dois números inteiros, e de repente faço uma questão.

– Como se chama o número “em cima” da fracção?

A minha professora responde rapidamente:

– Celso! Já devias saber isso, chama-se numerador!

Eu fiquei corado e prometi que ia estudar.

Depois aprendi como calcular a fracção de uma quantidade, que por acaso percebi muito bem 😉

As aulas acabaram às cinco e 1/4, eu fui para casa e contei à minha mãe o meu dia completamente recheado de fracções.

Celso Bastos, nº 8, 6º A, C.I.C.

 

Texto G:

Gostei muito do que aprendi sobre fracções, principalmente quando resolvi problemas da vida real nas aulas, pois pude verificar para que servem.

Os conhecimentos que adquiri sobre fracções foram: as fracções podem ser impróprias ou próprias; equivalentes; irredutíveis ou não; decimais; podem-se adicionar ou subtrair, multiplicar ou dividir; em relação à adição as fracções verificam as propriedades comutativa, associativa e existência de elemento neutro e em relação à multiplicação as propriedades anteriores, a distributiva e a existência de elemento absorvente; potências; a fracção inversa de uma fracção; etc.

No dia-a-dia as fracções são utilizadas quando, por exemplo se divide um bolo ou uma pizza em partes, se resolvem problemas de heranças de casas ou terrenos, se escolhem produtos alimentares no supermercado tendo em conta o custo e o peso, etc.

Resolvi e resolvo bastantes problemas aplicando os conhecimentos sobre fracções. As actividades realizadas nas aulas foram interessantes. Como compreendi a matéria foi só aplicar o que aprendi e treinar. Por isso, não tive muitas dificuldades. Foi necessário estar sempre com muita atenção.

 Mário Pereira de Sousa, N.º20, 6º A, C.I.C.